We all have the power

Melhores Pessoas Conseguem Melhores Resultados com I Have the Power

O título pode, inicialmente, parecer-vos estranho porque vou escrever sobre uma pessoa. Mas continuem comigo e, brevemente, entenderão.

Adelino Cunha poderia ser um ilustre desconhecido, se fosse um homem acomodado. Filho de um empregado de escritório e de uma comerciante, pessoas com visão que sempre o incentivaram a não se restringir ao meio em que vivia e a procurar superar-se – “Filho, começa a cavar o poço antes que te falte a água” (CUNHA, 2014:p.17) –, cedo aprendeu que, para gerar receitas e conseguir alguma folga financeira, há que mudar de mentalidade, não se acomodar, trabalhar mais horas para além do horário do emprego, com uma diferença: estas horas extraordinárias devem ser dedicadas em benefício próprio, num projeto autónomo, viável, que permita a criação do nosso próprio negócio, a par do emprego.

Homem de visão, valoriza a formação contínua, a formação ao longo da vida, necessária ao desenvolvimento pessoal e à melhoria da qualidade de vida de cada um. E é nesse sentido que acredita no valor da ajuda ao próximo, fornecendo as ferramentas e o incentivo que permitam contribuir para melhorar as vidas daqueles com quem se cruza, quer financeiramente, quer ao nível pessoal, pois como refere, “não quero ser um pescador, mas, sim, criador ou gerador de pescadores (idem:p.12).

DeZero

No seu livro De zero à esquerda a zero à direita, o autor explica, de forma simples, como, através do Networking, é possível alavancar duma situação de dificuldade financeira ou mesmo de desemprego e, com muito empenho (sim, aqui não há venda de banha da cobra!) trabalho, resiliência (preparação para os “nãos”), se pode construir um negócio, desde que estruturado. Ele próprio regista a sua experiência e ilustra com exemplos divertidos. Um livro a não perder!

É aqui que o título do artigo ganha significado. Adelino Cunha é formado em Matemáticas Aplicadas – Especialização de Computadores. Foi Professor Universitário e Administrador de uma empresa de software. A sua busca por uma resposta e uma solução para a razão pela qual algumas pessoas triunfavam em detrimento de outras, conduziu-o por um caminho de estudo e à criação da sua própria empresa, a SOLFUT, LDA. Posteriormente, regista a marca I HAVE THE POWER, um sistema para treinar as pessoas para o êxito. Constituída por sete academias direcionadas para diferentes áreas, prestam assistência, ministram cursos, fornecem produtos e serviços que visam o desenvolvimento pessoal de quem os consulta.

Como vê, é possível.

WE ALL HAVE THE POWER!

«Jogo de Janelas», de Francisco Ceia

Reescrevo aqui o ‘post’ que publiquei no antigo “Recados”, no dia 3 de agosto.

Ontem proporcionou-se uma ida a Ponte de Lima. Se o passeio, só por si, é agradável, ir à apresentação de um livro, constitui um “2 em 1”, preenche-nos visual e espiritualmente.

20h20 – Seguimos rumo a Ponte de Lima, na A3. Temos hora marcada, chegada prevista antes das nove e meia.

20h45 – Saímos da A3 para nos dirigirmos ao centro da maior vila portuguesa. Uma vez chegados, partimos em busca do local para satisfazer o vício. Sem cafeína, não há menina! Salva por um “cimbalino” e uma bolacha húngara, fomos até à Expolima para assistir à apresentação do livro de Francisco Ceia, «Jogo de Janelas».

O mais importante, o livro. Poesia, sem dúvida. Onde habitam diversas personagens, que vamos conhecendo à medida que nos embrenhamos pela leitura, ou que “abrimos” cada janela.

Um livro que foi ganhando vida, nascendo como canção, cuja extensão se prolonga pelas 411 páginas, escritas ao longo de ano e meio, de onde as palavras jorram em caudal que se adensa num crescendo ininterrupto.

Uma apresentação alternada com cantigas, algumas diretamente ligadas a personagens do livro, e a memórias da infância, como as histórias de filmes, que o pai contava.

Gostei da noite e estou a gostar do livro. Desde já, aviso, não é recomendado como leitura de cabeceira. Cada “janela” necessita de ser lida do princípio ao fim, de um só fôlego. Mas vale a pena.

Obrigada, Francisco!

Título: Jogo de Janelas
Autor: Francisco Ceia
Edição: 2012
Páginas: 412
Editor: Edições Colibri
ISBN: 9789896892203
Coleção: Tribuna Livre

«Arquivo Íntimo», Nelson Mandela

Entre a ocupação com a leitura de artigos e a realização de tarefas várias para deixar a secretária (mais ou menos) limpa,  arranjei um tempinho para o meu “vício” e comecei a ler o Arquivo Íntimo, de Nelson Mandela. Criatura fascinante! Grande humanista, personalidade incontornável da defesa da democracia e dos direitos humanos.

Este livro assenta em entrevistas ao próprio, documentos cedidos por este e pela fundação que existe em seu nome. Um documento envolvente, que testemunha a simplicidade de caráter de uma das personalidades mais marcantes do século XX. A ler!

Título: Nelson Mandela – Arquivo íntimo
Autor: Nelson Mandela
Edição: 2010
Páginas: 456
Editor: Objectiva
ISBN: 9789896720452